11 de agosto é o Dia do Estudante

9 de agosto de 2023

Por: SOMOS Educação

Compartilhe:

Existe no calendário brasileiro um dia especial para homenagear todos os estudantes, que com dedicação e empenho valorizam o conhecimento e o crescimento pessoal. Comemorado em 11 de agosto, o Dia do Estudante ressalta a importância e a necessidade dos estudos na vida dos cidadãos.  

Você sabe qual é a história por trás desta data?  Acompanhe este artigo que traz a relevância histórica da data comemorativa e uma reflexão sobre o perfil dos estudantes e dos educadores do século XXI. Confira!

A história do Dia do Estudante 

Em 11 de agosto de 1827, o então imperador do Brasil, Dom Pedro I, criava através de um decreto os dois primeiros cursos de ensino superior do país. Até aquela data, os estudantes que quisessem ter acesso às universidades precisavam se deslocar à Europa.  

Com a criação no Brasil dos primeiros cursos superiores em Direito, os estudantes de todo o país tinham nos estados de Pernambuco e São Paulo dois polos pioneiros de graduação. Cem anos depois, em uma comemoração pelo início do Ensino Superior em solo brasileiro, surgiu a ideia de fazer do dia 11 de agosto uma data comemorativa para homenagear todos os estudantes. 

E dez anos depois, em 1937, a criação da União Nacional dos Estudantes (UNE) ajudou a reforçar a importância da data. A organização estudantil brasileira – que defende os interesses dos estudantes e os representa nas tomadas de decisão históricas para o país – fortalece o dia dedicado aos estudantes.  

Esses são grandes marcos na trajetória educacional do Brasil, que, ao longo dos anos, vem passando por fortes movimentos de renovação. Nesse cenário, o Dia do Estudante ressalta a importância e a necessidade dos estudos na vida dos cidadãos.  

Vale lembrar que o acesso à Educação é um direito assegurado a todos, como previsto no Art. 205 da Constituição Federal de 1.988: 

A educação, direito de todos, e dever do Estado e da família, será promovida e incentivada com a colaboração da sociedade, visando ao pleno desenvolvimento da pessoa, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho. 

Atualmente no Brasil existem estudantes de todas as idades.  Das crianças da Educação Básica aos jovens do Ensino Médio e superior, além dos pós-graduandos de mestrados e doutorados. Porém, o perfil dos alunos de hoje é bem diferente dodas gerações passadas.

O que significa ser um estudante no século XXI? 

Os estudantes do século XXI são conhecidos como nativos digitais. Inseridos em um mundo totalmente tecnológico, crianças e jovens têm a tecnologia como parte fundamental do seu desenvolvimento cognitivo.  

O perfil do aluno dessa nova geração considera a capacidade de fazer várias coisas ao mesmo tempo, além de uma postura ativa e autônoma para buscar informações. Dessa maneira, o processo de ensino-aprendizagem voltado apenas para a absorção de conhecimento prático abre espaço para o ensinar a pensar, a comunicar, a fazer sínteses e elaborações para a resolução de problemas.  

Ser um estudante no século XXI significa ir além dos cenários educacionais meramente conteudistas. Esses novos alunos demandam uma escola que ofereça soluções educacionais efetivamente eficientes e que considere as tendências do mercado de trabalho e do mundo globalizado. 

Nesse cenário, cada vez mais escolas têm aderido às ferramentas tecnológicas com o objetivo de estimular os estudantes a desenvolverem determinadas capacidades e habilidades. Aliar ensino de qualidade à tecnologia educacional contribui para a formação de seres socialmente competentes, com pensamento crítico, flexibilidade e responsabilidade.  Essa é uma das premissas da Base Nacional Comum Curricular, que considera a tecnologia fator fundamental do processo de ensino. 

O educador do século XXI 

Para algumas escolas, o processo de digitalização é bastante recente e, por vezes, desafiador. Os estudantes do século XXI demandam novas abordagens e metodologias, mas também a ressignificação do papel do educador em sala de aula.  

O educador dos novos tempos precisa desenvolver competências e habilidades que maximizem o processo de ensino-aprendizagem, preparando seus alunos para os desafios do mundo VUCA. Dessa maneira, aliar as inovações tecnológicas às chamadas habilidades comportamentais people skills ou soft skills  é fundamental para o profissional atual. 

Para entender melhor o perfil do Educador do século XXI, conversamos com o professor e empreendedor Luis Vabo sobre o futuro do ensino e dos educadores. Neste e-book, Vabo fala sobre o que os professores precisam compreender para desenvolver suas habilidades, dar boas aulas e cativar os alunos. Baixe gratuitamente: 

Gostou deste artigo? Siga nossas redes sociais para acompanhar mais conteúdos interessantes para educadores e gestores escolares! Nós estamos no FacebookInstagramLinkedIn e YouTube.

Compartilhar: