5 dicas práticas para a motivação dos professores

12 de julho de 2022

Por: SOMOS Educação

Compartilhe:

Existe uma equação no processo de ensino-aprendizagem que sempre terá resultado positivo quando considerada: um professor entusiasmado em ensinar manterá o aluno engajado e, consequentemente, assegurará a qualidade de ensino

A motivação dos docentes tem impacto direto no desempenho e resultados positivos de todo o ambiente escolar. Por isso, é importante que a escola fomente projetos e ações constantes para motivar seus educadores. 

Quer saber como sua escola pode fazer isso? Para auxiliar nesse processo, preparamos este artigo especial para que você conheça dicas de como manter os professores engajados. São sugestões de boas práticas para que sua instituição de ensino mantenha um time comprometido e constantemente estimulado em suas atividades. Confira! 

A importância da motivação docente 

Encorajar os estudantes, realizar atividades criativas e envolventes, lidar com a indisciplina e escassez de recursos pedagógicos, administrar jornadas de trabalho extensas e intensas… São tão frequentes os desafios enfrentados pelo professor em sala de aula que, muitas vezes, a desmotivação se torna inevitável.

Com tantos contratempos possíveis no dia a dia, é preciso que a gestão escolar se comprometa a auxiliar o processo de motivação dos professores, entendendo que o engajamento dos profissionais tem impacto direto nos resultados educacionais. Uma equipe valorizada certamente terá um desempenho surpreendente. 

A motivação do corpo docente é elemento fundamental para a produtividade e eficiência dos profissionais. Contar com profissional da educação entusiasmado, comprometido e interessado impacta diretamente o processo de ensino-aprendizagem, gerando uma educação mais efetiva e de maior qualidade para os estudantes

Dessa forma, aumentar esse sentimento deve ser uma questão estratégica dentro das instituições de ensino. A motivação dos professores deve ser um dos pilares dos compromissos de gestão da escola, cuidando para que os professores tenham ânimo e disposição dentro e fora da sala de aula.  

Como motivar o professor 

Entendendo que são incontestáveis os benefícios da motivação docente, algumas medidas podem ser adotadas para aumentar esse sentimento entre os professores. Além das forças internas do indivíduo (comumente chamada de motivação interna ou intrínseca), o incentivo externo tem efeitos imediatos. Por isso a importância de promover a motivação e satisfação da equipe escolar.  

Quer saber como sua escola pode fazer isso? O primeiro passo é reconhecer que existem diversos motivadores extrínsecos. Eles podem ter natureza financeira – como recompensas e bonificações – ou até questões de ordem social – como reconhecimento, possibilidade de crescimento e melhora na qualidade de vida. 

Dessa forma, é fundamental conhecer e ouvir a equipe escolar para, de maneira acertada e alinhada às demandas de cada instituição, eliminar o desconforto e acrescentar fatores motivantes ao dia a dia dos profissionais

5 dicas para manter seus professores motivados 

Algumas ações podem ser colocadas em prática para tornar o ambiente educacional mais agradável, favorecendo a rotina de trabalho do professor e aumentando a motivação da sua equipe. A seguir, você encontrará 5 estratégias. Acompanhe conosco! 

1. Reconhecimento, respeito e valorização 

É fundamental que a instituição de ensino demonstre preocupação e respeito com a rotina do professor. Profissionais que se sentem valorizados tendem a colaborar de forma produtiva e mais engajada. 

Fornecer feedbacks construtivos sobre o trabalho docente é uma estratégia de motivação. Ouça e acompanhe sua equipe. Zele pelos profissionais. Endosse e parabenize os pontos positivos e incentive o aperfeiçoamento quanto aos pontos a melhorar. Dessa maneira, os educadores terão certeza de que a instituição efetivamente se interessa e valoriza seus colaboradores. 
 

2. Diálogo contínuo entre professores e gestão

Um ambiente de trabalho saudável e amistoso é estimulante e animador. Por isso, a relação entre o corpo docente e a gestão/administração escolar precisa ser a melhor possível. Transparência e diálogo contínuo entre esses agentes assegura práticas de trabalho agradáveis e acolhedoras.  

Além disso, a escola deve ser um espaço democrático e colaborativo. É fundamental que o professor se sinta à vontade para compartilhar relatos e experiências, opinar, reclamar e elogiar sem qualquer medo de represálias e retaliações.  

As equipes de gestão e administração escolar e o corpo docente precisam trabalhar de maneira próxima e alinhada – lembrando da importância de nunca limitar as autonomias de cada função. No dia a dia, esse diálogo contínuo entre professores e gestão pode ocorrer por meio de reuniões periódicas, ou ainda por meio de pesquisas internas de satisfação, por exemplo.   

3. Melhorias da infraestrutura da escola 

Invista na infraestrutura da instituição de ensino. Um espaço físico adequado e boas ferramentas de trabalho são essenciais para o professor desempenhar sua função. Contando com os recursos necessários para ministrar ótimas aulas, o docente poderá se concentrar no seu objetivo principal: o processo de educar! 

Por isso, cabe a instituição mapear as carências de infraestrutura e eliminar possíveis elementos desmotivadores para a prática docente. Você consegue imaginar o quão desencorajador é lecionar preocupado se haverá luz no espaço, se a internet vai funcionar ou se todo material estará disponível para os alunos? Se, além de planejar suas práticas pedagógicas, o professor ainda precisar se preocupar com a viabilidade de realização de seu trabalho, dificilmente ele conseguirá desempenhar bem a sua função.  

Além de dispor de recursos para a sala de aula – como bons computadores, ambientes virtuais de aprendizagem, projetores e recursos audiovisuais diversos – assegure, também, uma infraestrutura que otimize a rotina dos professores, com ferramentas para gestão de tempo e até automatização de processos burocráticos.  

4. Capacitação e formação contínua 

O processo permanente e constante de aperfeiçoamento é um dos elementos que potencializa o sentimento de motivação. Sentir-se preparado, seguro e atualizado para desempenhar seu papel é um impulso para a transformação e impacto positivo nos contextos profissional e escolar.  

É fundamental que as escolas incentivem e possibilitem a capacitação e atualização do seu corpo docente de forma frequente e regular. Independentemente do formato – cursos, palestras, eventos – o principal é que os professores estejam em contato com melhores práticas, inovações da sua área e intercâmbio de ideias. 

Com a formação continuada, as práticas pedagógicas poderão ser sempre revistas, potencializando assim o processo de aprendizagem e a qualidade do ensino. Lembrando que um educador atualizado e em processo ininterrupto de crescimento e aprendizado, em todos os sentidos, certamente é um professor motivado. 

Entendendo que os educadores são o agente fundamental da transformação da educação, o PROFS – Programa de Formação de Professores oferece cursos de formação continuada à distância. A plataforma dispõe de conteúdos desenvolvidos em parceria com especialistas de destaque em cada área e têm uma abordagem construtivista, didática, relacionando tecnologia e educação, além de uma bibliografia de apoio ampla. Conheça mais clicando aqui

5. Equilibrar trabalho e vida pessoal 

A rotina dos professores vai muito além da sala de aula. Comumente eles levam para casa avaliações a serem corrigidas e planos de aulas para serem elaborados. É preciso tomar cuidado para que a sobrecarga profissional não afete a vida pessoal.  

Por isso, tão importante quanto organizar a rotina escolar é otimizar a vida fora da sala de aula. Incentivar que os professores se dediquem à vida pessoal, respeitando momentos de lazer e descanso também é um cuidado com o processo de motivação dos professores.  

Observe e converse com os professores sobre como equilibrar o trabalho e vida pessoal. Se for preciso, intervenha com sugestões de práticas de gestão do tempo, trabalhando as particularidades do relacionamento entre os educadores e o tempo e identificando quais são os maiores desafios enfrentados. 

Cuidados com a saúde mental 

Quando desmotivados, os profissionais tendem a ter a diminuição da sua produtividade e qualidade do trabalho. Isso repercute também na motivação dos colegas e dos próprios alunos. Mas, além disso, há um impacto direto na saúde desses profissionais.  

Por isso, uma outra prática importantíssima para motivar professores refere-se a ações que visam a ajudar e apoiar o cuidado com a saúde mental e bem-estar do docente. Algumas enfermidades relacionadas ao sofrimento mental acabam afastando os professores da sala de aula. Dessa maneira, a estabilidade emocional do professor também precisa de atenção.  

Muitos profissionais sofrem da Síndrome de Burnout – também conhecido como mal-estar docente – e o caminho para vencer esse desafio passa também pela gestão escolar, por meio de uma tríade que envolve o apoio, o acolhimento e a formação. Para aprofundar um pouco mais no tema, preparamos um e-book com dicas sobre como evitar o estresse e manter a saúde mental dos professores.  

Nesse material, damos luz ao trabalho de gestores e educadores para que a educação humanizada, tão sonhada nas teorias pedagógicas, torne-se também um olhar mais humano sobre o fazer docente. Baixe gratuitamente o e-book Saúde mental e bem-estar dos professores: desafios e possibilidades

Compartilhar: