5 dicas para explorar a festa junina como prática pedagógica

12 de junho de 2023

Por: SOMOS Educação

Compartilhe:

As festividades do mês de junho mobilizam esforços de muitas escolas. Algumas delas já consideram a festa junina um evento do calendário escolar e uma atividade em suas práticas pedagógicas.

Entretanto, aspectos importantes sobre essa celebração também precisam ser considerados. Seus alunos conhecem as origens das festas juninas? Sabem por que comemos tantas iguarias de milho e de onde vêm as danças? Sua escola aproveita os festejos para ensinar também os aspectos culturais e históricos para os estudantes?

Para ajudar sua escola a dar mais significado para a festa, aproveitando-a como prática pedagógica com bastante diversão, propomos 5 dicas para aproveitar a animação em sala de aula. Confira!

1. Entender e explicar o sentido original da festa junina

Qual a origem da festa junina? Descobrir isso pode ser o primeiro passo para a contextualização da festa na escola. É importante motivar os alunos a buscarem essa resposta para compreenderem a tradição.

Saber que os festejos vêm de agradecimentos aos santos pela colheita do meio do ano e que, por isso, a maioria dos quitutes é feita de milho, por exemplo, pode despertar neles o interesse pela história.

Um projeto interdisciplinar pode resgatar as simbologias da quadrilha, das comidas e da fogueira, trabalhado em conjunto as perspectivas de várias disciplinas sobre o tema e ampliando discussões sobre a cultura brasileira.

2. Desmistificar o homem do campo

A tradição junina pode ser uma boa oportunidade para apresentar o campo de uma nova maneira, descaracterizando o estereótipo caipira do homem rural. Uma maneira de fazer isso é por meio de estudos sociais, geográficos, culturais e históricos.

Entender como uma sociedade funcionava em determinada época e quais fatores influenciavam o modo de vestir, de agir, de se alimentar, entre outros aspectos, pode contribuir para estudos da multiculturalidade do país, trabalhando competências e habilidades socioemocionais, como o respeito à diversidade cultural.

3. Estimular a educação mão na massa

Como trazer os estudantes para os projetos juninos? A escola pode utilizar diversos recursos, como, por exemplo, propor que os alunos participem da decoração, da confecção de cartazes e fotos, da escolha do repertório e da coreografia das danças. Dessa maneira, os alunos colocam a mão na massa e sentem-se mais confiantes e envolvidos nos acontecimentos, colaborando para que efetivamente o evento e as atividades celebrativas ocorram e tenham uma identidade própria.

4. Associar a festa junina ao trabalho das competências da BNCC

A Base Nacional Comum Curricular propõe uma série de habilidades e competências que os alunos devem desenvolver ao longo da Educação Básica para que se tornem cidadãos mais críticos e conscientes. As competências e as habilidades propostas pela BNCC devem ser trabalhadas dentro e fora da sala de aula, no ambiente escolar como um todo, em eventos e também em manifestações culturais promovidas pela escola.

Sendo assim, a festa junina é uma oportunidade de implementar as orientações apontadas pela Base de uma maneira diferente. Ao invés de a celebração ser apenas um dia de dança, comida e customização, é adequado explorar a festa junina como prática pedagógica para elucidar o contexto histórico e geográfico da tradição.

A competência geral número 3 da BNNC está relacionada diretamente a essa aplicação:

Competência 3:  Valorizar e fruir as diversas manifestações artísticas e culturais, das locais às mundiais, e também participar de práticas diversificadas da produção artístico-cultural.

Por essa perspectiva, a festa junina passa a ser não apenas um dia de celebração, mas, sim, um estudo e uma valorização de manifestações artísticas e culturais.

5. Estimular a participação da família

A participação dos pais e dos familiares é importante para a escola como um todo em vários aspectos. No contexto da festa junina, quando comparecem, os pais estimulam a criança e reforçam sua autoestima. Eles também podem contribuir na organização: as escolas podem propor às famílias prepararem os comes e bebes, por exemplo, ou contribuírem com os brindes que serão usados nas brincadeiras.

Além disso, a comunidade escolar pode abrir um espaço para que os membros da família participem e se candidatem a premiações, gincanas, atividades, entre outros. Vale ressaltar a importância desse relacionamento, que resulta em uma participação maior da família na comunidade escolar, fazendo com que eles se sintam inseridos e ativos na vida de seus filhos.

A sua escola já está preparada para comemorar? 

A sua escola já está preparada para comemorar a festa junina? Sabemos que organizar eventos escolares pode ser desafiador, mas, com o devido planejamento, é possível assegurar que essas ações ocorram com êxito.

É importante ter sempre em mente o objetivo do evento, uma vez que é ele que vai nortear as demais estratégias de atuação. Para ajudar você a organizar um bom evento na escola, preparamos um e-book exclusivo com boas práticas. No material, você verá pontos que devem ser considerados antes, durante e após o evento. Clique para receber gratuitamente o seu!

Compartilhar: